MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

AS CONTAS DE MADURO, por Luis Leiria

AS CONTAS DE MADURO

Fonte: Facebook

Tomo a liberdade de levar de Luis Leiria o texto no qual ele mostra de que forma o regulamento eleitoral de Maduro foi feito para que, desse por onde desse, o seu partido pudesse ganhar a votação para a Constituinte venezuelana:

«Fiz umas continhas para quem não quis acreditar na importância das distorções introduzidas pelo decreto de “bases comiciales” de Maduro para a “Constituinte”, que é de 23 de maio de 2017 (pouco mais de dois meses antes das eleições) e que alterou, em cima da hora e de forma radical, o processo eleitoral no país.

Um exemplo: o estado de Zúlia, o mais populoso do país, com 4.323.467 habitantes. Em 2015, elegia 15 deputados, o que dá 1 deputado por cada 288.231 habitantes. Nesse ano, o MUD elegeu 13 deputados e o PSUV 2. Para a “Constituinte”, o estado passou a eleger 22 deputados, 1 deputado por 196.521 habitantes. Ora, dirão vocês: melhorou a representação, de que te queixas? Calma.

Vejamos o estado de Portuguesa, um dos dois onde o PSUV ganhou em 2015 (é verdade, ganhou só em dois). Com 1.012.781 habitantes, nas eleições de 2015 elegia 6 deputados, 1 por cada 168.796 habitantes, uma representação mais generosa que Zúlia. Nesse ano, os resultados deram 5 deputados para o PSUV e apenas 1 para o MUD. Ora na “Constituinte”, o mesmo estado passou a eleger… 15 deputados, quase o triplo, passando para uma proporção de 1 deputado por cada 67.518 habitantes. Desta forma, cada voto do eleitor de Portuguesa, estado onde o PSUV arrasou o MUD, passou a valer o mesmo que 2,5 votos do eleitor de Zúlia. 

É deste tipo de distorções de que falamos.

Mas a pior distorção é dada pela nova eleição por setores, responsável por 173 deputados, 30% do total, já que as eleições territoriais elegem 364 deputados, mais 8 dos povos indígenas. Os "setores" que elegem deputados são: estudantes (24), camponeses e pescadores (8), empresários (5), pessoas com deficiência (5), aposentados (28), conselhos comunais (24) e trabalhadores (79) (!?). Isto é, 30% dos deputados são eleitos de forma incontrolável, devido ao peso das burocracias sindicais maduristas. Alguém ainda duvida que, como disse o Edgardo Lander, este regulamento foi feito para o PSUV ganhar de qualquer forma?»