MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964

MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964
Avião voa sobre a orla carioca em 31/03/2014, ostentando faixa com os seguintes dizeres: "PARABÉNS MILITARES - 31/MARÇO/64 - GRAÇAS A VOCÊS O BRASIL NÃO É CUBA". Clique na imagem acima para acessar MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 - uma seleção de artigos sobre o tema.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Em 1 de outubro de 2015 entra em vigor o Simples Doméstico

Em 1 de outubro de 2015 entra em vigor o Simples Doméstico

 
A partir do dia 1º de outubro de 2015 entra em vigor o simples doméstico, que permite unificar a forma de pagamento dos tributos desses empregados.
A PEC das Domésticas, emenda constitucional que foi aprovada em abril de 2013, teve alguns pontos que somente foram regulamentados em junho de 2015, sendo que a partir de 1º de outubro de 2015 passarão a valer.
Com a regulamentação, o empregador será obrigado a depositar 8% a título de FGTS, e 3,2% de indenização por demissão sem justa causa, além de pagar 0,8% a título de seguro contra acidente. Lembrando que o INSS devido pelo empregador terá uma redução de 12% para 8%, enquanto o INSS devido pelo empregado poderá variar de 8% a 11%. Se o salário pago ao empregado superar R$ 1.930, também haverá o recolhimento do Imposto de Renda devido pelo trabalhador.
Quanto ao INSS devido pelo empregado e Imposto de Renda, esclarecemos que em que pese o recolhimento ser realizado pelo empregador, esse deverá descontar do salário do empregado tais quantias.
O empregador deve cadastrar o empregado no site www.esocial.gov.br para obter facilidades no controle e cumprimento das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais. Esse procedimento só estará disponível no início de outubro, em razão dos ajustes que ainda estão sendo feitos.
A previsão é de que a partir de novembro poderão ser pagos todos os tributos de um empregado doméstico em uma guia única. O pagamento nesse novo modelo, referente a outubro, deverá ser realizado até 7 de novembro de 2015.
Atualmente, através do “e-social” é possível verificar dados do empregado, tais como o NIT (Número de Identificação do Trabalhor) e CPF.
Com a realização do cadastro o empregador deverá informar mensalmente o valor do salário e horas extras praticadas pelo empregado. O sistema irá gerar um documento único de arrecadação do E-social, que constará de modo discriminado os valores de cada parcela, no entanto que permitirá o pagamento de modo unificado.
Outras funcionalidades do sistema ainda dependerão de mais tempo para estarem disponíveis, tais como: afastamentos, retornos, dispensa dos empregados, além de anotação de férias e controle para cálculo de horas extras e hora noturna.
Aline Simonelli Moreira
Advogada-sócia do escritório Brito & Simonelli Advocacia e Consultoria (www.britoesimonelli.com.br). Atua nas áreas trabalhista e previdenciária. Pós-graduada em Direito Previdenciário pelo Complexo Educacional Damásio de Jesus e Pós-graduada em Direito do Trabalho pela FDV. Bacharel pela FDV. Profe...